Sábado, 16 de Fevereiro de 2008

Claro que vamos melhorar

O misterioso senhor “a”, brilhava assim, um dia destes, no Fórum da DGRHE:
“Desencadear um processo de avaliação de desempenho constitui um grande desafio para toda e qualquer organização. Pô-lo em marcha só é possível quando todos os intervenientes acreditam que a avaliação é um processo de melhoria quer do próprio, quer da própria organização com vista ao alcançar de melhores resultados.”
Alguém, cheio de esperança, respondeu com um desabafo:  
“Concordo com os princípios deste regime de avaliação, mas é inevitável não nos questionarmos se o modo como está a ser implementado nos faz de facto acreditar que vai contribuir para a melhoria de alguém a curto prazo (até Junho!). Nenhum processo se implementa em 30 dias?! Será que não poderemos contribuir melhor para a melhoria? Tenho esperança que sim.”  
Caro esperançado,
Lamento desiludi-lo, mas qualquer processo consegue implementar-se em 30 dias! E quem diz um processo, diz uma ponte, um prédio, o que lhe apetecer. O que vem a seguir ao último dia, isso já não interessa. Que o processo lance o caos e prejudique o normal funcionamento das escolas, isso não interessa. Tal como não interessa se a ponte cai ou o prédio tomba. O que interessa mesmo, é implementar, que o calendário político não pode perder tempo com ninharias. Além do mais, torna-se óbvio que, se aderirmos em massa a este fantástico processo de avaliação do desempenho docente, iremos contribuir – como nunca – para a melhoria. Como? Simples: até ao final do presente ano lectivo, milhares de professores traçarão os seus objectivos individuais com base no sucesso milagroso e no abandono impossível, sendo, assim, empurrados para a simpática missão de classificar os seus alunos de forma inflacionada, único meio de não saírem penalizados na avaliação. No final do ano lectivo, a ministra virá à praça pública pavonear-se com a espantosa melhoria dos resultados escolares dos alunos portugueses e com a impressionante diminuição do insucesso, fruto das suas inteligentes e inovadoras medidas. Em meia dúzia de meses, a implementação deste modelo de avaliação fará disparar para cima as notas negativas dos alunos. Claro que vamos melhorar…
publicado por pedro-na-escola às 08:43
link do post | comentar | favorito

~posts recentes

~ E a Terra é plana…

~ A propósito dos melhores…

~ A propósito de oportunida...

~ A propósito das paranóias...

~ Especialistas em educação

~ O que vai ficar por fazer

~ Nuno Crato e a definição ...

~ Mega-Agrupamentos 4 - a p...

~ Mega-Agrupamentos 3

~ Mega-Agrupamentos 2

~ Mega-Agrupamentos

~ O segredo do sucesso nas ...

~ A anedota da vaca

~ Por falar em reduzir as d...

~ Agressividade de autores ...

~ Brincando às competências...

~ Pois, realmente, não foi ...

~ Contas ao número de aluno...

~ Reforço da autoridade dos...

~ Incompetência ao rubro...

~links

~arquivos

~ Julho 2011

~ Junho 2011

~ Maio 2010

~ Abril 2010

~ Março 2010

~ Novembro 2009

~ Outubro 2009

~ Setembro 2009

~ Agosto 2009

~ Julho 2009

~ Junho 2009

~ Maio 2009

~ Abril 2009

~ Fevereiro 2009

~ Janeiro 2009

~ Dezembro 2008

~ Novembro 2008

~ Outubro 2008

~ Abril 2008

~ Março 2008

~ Fevereiro 2008

~ Janeiro 2008

~chafurdar no blog

 
RSS