Terça-feira, 5 de Fevereiro de 2008

Os competentes e os outros

A propósito da Avaliação do Desempenho dos Docentes
Questão colocada no fórum da DGRHE:
Em que horas dos Coordenadores de Departamento (muitos deles com uma grande carga lectiva) e outros professores titulares avaliadores irão desenvolver as actividades de preparação, observação e reflexão relativos a todos os parâmetros classificativos dos professores?
Resposta sábia do misterioso e enigmático “r dgrhe”:
Os docentes são profissionais competentes para gerir com eficácia as actividades inerentes ao seu desempenho profissional. A distribuição do serviço docente (componentes lectiva e não lectiva) é da competência do Conselho Executivo, sendo as horas de trabalho necessárias ao desenvolvimento do processo de avaliação integradas na componente não lectiva do docente a nível do estabelecimento e no crédito de horas atribuído à escola, nos termos da lei.
Moral da história (by pedro-na-escola):
Caro “r dgrhe”, é um facto que a maior parte dos docentes são profissionais competentes. É por isso que a sua pessoa, tal como a maior parte da população portuguesa, sabe ler, escrever e contar. É por isso que, no nosso país, há engenheiros, médicos, professores, advogados, enfermeiros, juízes, doutores, etc. Outros docentes há, muito poucos, que não o são, pelo que importa limpar a classe desses, a bem do ensino, da educação e do país. Entre esses outros, é de caras que se encontra a sua pessoa, a avaliar pelas respostas que costuma dar no fórum e, em especial, a que deu atrás. Porque, qualquer profissional competente ligado à educação, sabe que aos professores é feita uma distribuição de serviço para um ano lectivo. Algumas alterações pontuais poderão ser feitas, mas nunca o necessário para encaixar o serviço inerente ao desenvolvimento do processo de avaliação! Aliás, ainda ninguém fez contas sérias ao tempo necessário para desenvolver esse processo, até porque ninguém ainda o desenvolveu. Um coordenador de departamento, com 22 horas lectivas e 4 horas não lectivas (para o exercício das funções de coordenação), está arrumado. Está arrumado, porque é esse o seu horário até ao final deste ano lectivo. Está arrumado, porque algumas mentes obscuras e obstinadas quiseram que este novo sistema de avaliação avançasse a meio de um ano lectivo, sem qualquer preparação. Está arrumado, porque o modelo que querem impor foi pensado para um mundo que não existe. Está arrumado, porque vai ter de esquecer os seus alunos e centrar as suas atenções numa mixórdia com tantas gralhas e buracos que até mete dó. Está o coordenador arrumado, estão os professores arrumados e quem leva por tabela pela incompetência superior continuam a ser os alunos e, por arrasto, o país. Bonito serviço!
publicado por pedro-na-escola às 09:30
link do post | comentar | favorito
1 comentário:
De Daisy a 5 de Fevereiro de 2008 às 11:32
ora aí está (mais) um caso em que uma qualidade é usada contra nós: somos competentes, ergo, temos de alombar com o trabalho!...


Comentar post

~posts recentes

~ E a Terra é plana…

~ A propósito dos melhores…

~ A propósito de oportunida...

~ A propósito das paranóias...

~ Especialistas em educação

~ O que vai ficar por fazer

~ Nuno Crato e a definição ...

~ Mega-Agrupamentos 4 - a p...

~ Mega-Agrupamentos 3

~ Mega-Agrupamentos 2

~ Mega-Agrupamentos

~ O segredo do sucesso nas ...

~ A anedota da vaca

~ Por falar em reduzir as d...

~ Agressividade de autores ...

~ Brincando às competências...

~ Pois, realmente, não foi ...

~ Contas ao número de aluno...

~ Reforço da autoridade dos...

~ Incompetência ao rubro...

~links

~arquivos

~ Julho 2011

~ Junho 2011

~ Maio 2010

~ Abril 2010

~ Março 2010

~ Novembro 2009

~ Outubro 2009

~ Setembro 2009

~ Agosto 2009

~ Julho 2009

~ Junho 2009

~ Maio 2009

~ Abril 2009

~ Fevereiro 2009

~ Janeiro 2009

~ Dezembro 2008

~ Novembro 2008

~ Outubro 2008

~ Abril 2008

~ Março 2008

~ Fevereiro 2008

~ Janeiro 2008

~chafurdar no blog

 
RSS