Segunda-feira, 27 de Outubro de 2008

Dez dicas dos bombeiros

Os novos bombeiros contratados pelo Ministério da Educação para apagar os fogos de desespero nas escolas a braços com o flagelo da caótica ADD, foram instruídos apenas com formação para apagar beatas em dia de chuva. Ficamos todos mais descansados e com a certeza de que este vai continuar a ser um ano “quente”.

 
A capacidade de intervenção táctica desta especializada equipa de bombeiros não parece ir mais além do que algumas singelas dicas, sobre parte das quais tomo a liberdade de fazer uma interpretação livre, baseada em factos verídicos:
 
Dica um:
Esqueçam lá essas coisas do “Muito Bom” e do “Excelente”, ok? Isso só complica as coisas e não há necessidade disso. Atirem ao “Bom” para toda a gente e vão ver como isso acaba tudo em beleza.
 
Dica dois:
Objectivos individuais? Por favor, não exagerem. Quantos menos, melhor e mais fácil.
 
Dica três:
Por falar em objectivos individuais… não se apressem que o ano civil só acaba em Dezembro, e ainda vão bem a tempo.
 
Dica quatro:
Vá, não levem muito a sério aquela coisa dos objectivos individuais a apontarem para as metas quantitativas dos resultados dos alunos e do abandono escolar. Em vez de meterem como objectivo individual atingir x% de sucesso, metam, por exemplo, que ah e tal vão usar o quadro interactivo em mais de 15% das aulas com o intuito de aumentar o sucesso e assim contribuir para as metas da escola, ou que vão oferecer-se como tutores para os alunos y e z com o intuito de prevenir que abandonem a escola.
 
Dica cinco:
Será que as dificuldades que estão a sentir derivam única e exclusivamente do facto de estarem a complicar uma coisa que pode ser tão simples? Vá lá, simplifiquem o processo…
 
Dica seis:
Achais que os itens nas fichas enviadas pelo Ministério da Educação são demasiados? Cortai! Cortai nelas! Ou juntai-as aos pares, aos trios ou aos quartetos!
 
Dica sete:
Por falar em fichas, não entrem na histeria colectiva das fichas normalizadas para registos. Há para aí com cada coisa, que mais parece um tratado científico de dissecação de um porco em noventa volumes.
 
Dica oito:
Não se afoguem em stress… não vale a pena… isto é tudo para ir experimentando, sem pressas exageradas, sem stress, sem complicações…
 
Dica nove:
A seu tempo, não se sabe bem quando, chegará às escolas um guia de como traçar objectivos individuais… tudo o que sempre quis saber sobre a elaboração de objectivos individuais mas que o Ministério da Educação nunca explicou… numa escola perto de si…
 
Dica dez:
Não façam muitas ondas e não dêem ares de muita aflição. As gentes das Equipas de Apoio às Escolas estão mortinhas por encostarem os bombeiros a um canto e entrarem em campo, invadindo as escolas com fanfarras e bandeiras, distribuindo ordens a granel e acabando com os últimos suspiros de sanidade.
publicado por pedro-na-escola às 00:19
link do post | comentar | favorito

~posts recentes

~ E a Terra é plana…

~ A propósito dos melhores…

~ A propósito de oportunida...

~ A propósito das paranóias...

~ Especialistas em educação

~ O que vai ficar por fazer

~ Nuno Crato e a definição ...

~ Mega-Agrupamentos 4 - a p...

~ Mega-Agrupamentos 3

~ Mega-Agrupamentos 2

~ Mega-Agrupamentos

~ O segredo do sucesso nas ...

~ A anedota da vaca

~ Por falar em reduzir as d...

~ Agressividade de autores ...

~ Brincando às competências...

~ Pois, realmente, não foi ...

~ Contas ao número de aluno...

~ Reforço da autoridade dos...

~ Incompetência ao rubro...

~links

~arquivos

~ Julho 2011

~ Junho 2011

~ Maio 2010

~ Abril 2010

~ Março 2010

~ Novembro 2009

~ Outubro 2009

~ Setembro 2009

~ Agosto 2009

~ Julho 2009

~ Junho 2009

~ Maio 2009

~ Abril 2009

~ Fevereiro 2009

~ Janeiro 2009

~ Dezembro 2008

~ Novembro 2008

~ Outubro 2008

~ Abril 2008

~ Março 2008

~ Fevereiro 2008

~ Janeiro 2008

~chafurdar no blog

 
RSS